Notícias

13 Abr 2018 | 08h30

Argentina: colheita de soja atinge 23,6% da área

São Paulo, 12 - A colheita de soja da safra 2017/18 da Argentina avançou 8,3 pontos porcentuais em uma semana e atingiu 23,6% da área, apontou a Bolsa de Cereais de Buenos Aires, em relatório divulgado nesta quinta-feira, 12. Os maiores progressos ocorreram na região núcleo norte, seguida do centro-leste de Entre Ríos e centro-norte de Córdoba e Santa Fé, enquanto o restante das regiões produtoras reportou avanços menores. A bolsa manteve a sua previsão de produção de soja na Argentina em 38 milhões de toneladas.

As precipitações registradas na última semana em grande parte da área agrícola nacional melhoraram a situação das lavouras. "No entanto, uma grande proporção da área remanescente de soja e milho mantém uma condição entre ruim e regular, com rendimentos esperados que ficariam abaixo da média das últimas cinco safras agrícolas." Ainda que o efeito sobre o rendimento de lavouras que estão nos estágios finais de enchimento de grãos seja baixo, as chuvas acumuladas permitirão melhorar as reservas de umidade do solo para o plantio das culturas de inverno.

Em áreas de primeira safra de soja, os rendimentos são heterogêneos. Em alguns pontos de Córdoba, Santa Fe e Chaco começou a colheita dos primeiros lotes pontuais de soja de segunda safra "com produtividades que refletem o efeito da seca durante etapas críticas de definição de rendimento". Segundo o boletim climático da bolsa, não estão previstas chuvas de grande intensidade nos próximos dias, e a expectativa é de que a colheita siga avançando sem percalços.

Quanto ao milho, 24,7% da área foi colhida até o momento, conforme a bolsa. A bolsa manteve a previsão de produção em 32 milhões de toneladas. A colheita avança principalmente nas regiões núcleo norte, núcleo sul e centro-leste de Entre Rios, mas também em áreas no centro e sul de Buenos Aires e La Pampa.

Os rendimentos são heterogêneos nas áreas colhidas no centro da área agrícola e no núcleo norte, dependendo do nível de umidade registrado durante as etapas de enchimento de grãos. "Ao mesmo tempo, o cereal semeado mais tarde ou em segunda safra transita pelas últimas fases do ciclo fenológico sob uma condição de umidade que varia entre seca e adequada."

Fonte: Q10/Estadão Conteúdo

SAC - Serviço de Atendimento Castrolanda
0800.421050 | 42 3234.8000